Vivemos numa época em que os meios de comunicação estimulam o consumo desenfreado, semeando nas pessoas a necessidade e a compulsiva por comprar. O desejo de trocar de carro todo ano, de gastar até o último centavo como se fosse o seu último momento. Vemos as instituições financeiras e bancos como se fossem boazinhas, como se estivessem ali para te ajudar. Mas a verdade é que banco não tem dó de ninguém, nunca teve e nunca vai ter, seu único objetivo é O lucro. Já se atentaram para a quantidade de leilões de imóveis vendidos por bancos existem?

Quantos leilões de veículos vendidos por bancos existem?

Uma infinidade de pessoas que perdem seus imóveis e veículos porque não conseguem pagar.

O que não te contam, é que os bancos não se importam com você. Os bancos querem é vender, empurrando empréstimos em cima de empréstimos, mesmo que sua vida passe a ser unicamente para trabalhar e adquirir coisas por meio de empréstimos. Não se engane, se dependesse unicamente dos bancos, você gastaria sua vida inteira pagando juros sobre juros, para cheque especial, cartão de crédito e tudo quanto há.

Primeira lição: – Guarde seu dinheiro centavo por centavo, dê valor ao seu dinheiro, pois eleé resultado do seu trabalho. Quando for comprar alguma coisa, compre a vista.

Não financie nada, não use cheque, não tenha cartão, não utilize cheque especial.

Digamos que ocorra de atrasar uma ou duas parcelas, o banco não vai querer saber o que aconteceu com você. Geralmente depois que atrasar duas parcelas um banco já não aceita mais que você pague as atrasadas, vai te pressionar e te empurrar um acordo, diretamente no banco, com o gerente, para renegociar sua dívida, fazendo assim uma novação e perdendo o direito de reclamar juros exorbitantes do anterior. O que não te falam na
hora é que naquele acordo, você estará abrindo mão de garantias constitucionais, inclusive uma dessas garantias, o da proteção aos bens-de-família.

Na prática, por um empréstimo consignado de 40 mil reais, você pode estar, através de um acordo, dando permissão para tomarem seu único imóvel, sua casa, seu apartamento, da noite para o dia, através de uma execução extrajudicialmente por meio do cartório. Infelizmente é assim, segundo normas da lei 9.514/97.

Segunda lição: Nunca faça acordo sem a presença de seu advogado especialista, se informe sobre seus direitos. Existem muitas medidas judiciais para lhe defender como embargos a execução, consignação em pagamento, ação de revisão contratual para recalcular os juros aplicados no empréstimo.

Para finalizar: Cuidado com os financiamentos, reflita bastante antes de se meter em dividas. Um grande abraço. Muitas bênçãos e muito dinheiro.

Dr. Daniel César